Latitudes: narrativa de (des)encontros

Por Amanda Mascarenhas e Renata Cló

Relação em não lugares

Para o casal José e Olívia, personagens interpretados por Daniel de Oliveira e Alice Braga que estrelam o filme “Latitudes” (2015), do diretor Felipe Braga, a globalização não foi um obstáculo. Ao contrário, a globalização os uniu. No filme, para o renomado fotógrafo, José, e para a famosa editora de moda, Olívia, viajar parece determinar suas vidas. E assim, “casa” para eles é um lugar não assumido, que faz com que qualquer ponto do mundo seja um destino fácil para encontros e reencontros que criam uma espécie de relação em não lugares, reflexo contemporâneo de vidas fragmentadas em tarefas, em que sensações e emoções nunca são plenas.

A061_C004_013190

Os personagens têm seu primeiro encontro em Paris, onde passam a noite juntos no quarto de hotel de Olívia, o que aparentava ser apenas uma “relação” espontânea de uma noite. No dia seguinte, eles tentam se descobrir, se interpretar. Logo é possível perceber que o relacionamento dos dois parece ser marcado por distâncias curtas, embora fisicamente longas, no sentido de que José e Olívia têm grandes dificuldades de permanecer longe um do outro depois de seu primeiro reencontro, acidental e ocorrido em Londres.

Continuar lendo

Dia da Liberdade de Impostos chama a atenção para a alta carga tributária

Por Amanda Mascarenhas

Nesta quinta-feira, dia 2 de junho, aconteceu em diversas cidades, incluindo Belo Horizonte, a ação do “Dia da Liberdade de Impostos”. A data marca, simbolicamente, a época do ano em que os brasileiros passam a trabalhar para proveito próprio, já que antes disso toda a renda do trabalhador é destinada ao pagamento de impostos, taxas e contribuições cobrados pelos governos federal, estadual e municipal. A ação tem como principal objetivo protestar e conscientizar a população sobre a alta carga tributária do Brasil, cujo valor arrecadado em 2016 já ultrapassa os R$807 bilhões.

Presidente da Frente Parlamentar da Indústria Mineira, o deputado Dalmo Ribeiro acredita que deve-se reconhecer a importância do pagamento de impostos para a realização de políticas públicas, mas critica a alta quantidade de tributos cobrada. “A excessiva carga de impostos que os brasileiros pagam, infelizmente, não gera o retorno esperado e necessário em termos de qualidade de vida e serviços públicos. O país continua carente em investimentos nas áreas da educação, saúde, segurança, entre outros”, afirmou.

Continuar lendo