O choque do real nas representações cinematográficas do sequestro do ônibus 174

Por Amanda Mascarenhas

Em 12 de junho de 2000, às 14h20m, no bairro Jardim Botânico, zona sul do Rio de Janeiro, Sandro Barbosa do Nascimento sequestrou um ônibus da linha 174 (Central-Gávea), mantendo reféns sob a mira de seu revólver por quase 5 horas. Transmitido nacionalmente ao vivo pela televisão, o caso foi retratado em 2002 no filme-documentário Ônibus 174, de José Padilha e Felipe Lacerda, e em 2008 na ficção Última parada 174, de Bruno Barreto, a partir da retomada da história de vida de Sandro.

Através de imagens do sequestro e depoimentos de vítimas e autoridades envolvidas, a narrativa do documentário Ônibus 174 revela como um típico menino de rua marginalizado tornou-se bandido e descreve os fatos acerca da ocorrência policial em si. Aos 8 anos de idade, Sandro presenciou o assassinato da mãe e passou a morar nas ruas, logo se envolvendo com drogas. Sobrevivente da Chacina da Candelária, foi detido diversas vezes em instituições socioeducativas e prisões e nunca aprendeu a ler e escrever.

Continuar lendo

Educação para as relações de gênero nas escolas municipais de Belo Horizonte

Por Amanda Mascarenhas

Nas últimas décadas, com o crescimento da mobilização social da população LGBT*, as discussões sobre diversidade sexual e relações de gênero passaram a ter maior visibilidade no Brasil e pautar reflexões na sociedade e na formulação de políticas públicas governamentais. Neste contexto, a escola tem o papel fundamental de promover a inclusão social e o fortalecimento da comunidade LGBT* através da democratização da educação, promovendo práticas de enfrentamento do sexismo, da homofobia e transfobia, a fim de garantir o direito à aprendizagem para todos em um ambiente escolar que abrace e respeite diferentes expressões da sexualidade e identidade de gênero.

Estes são os principais objetivos do trabalho realizado pelo Núcleo de Gênero e Diversidade Sexual (NUGDIS) da Secretaria Municipal de Educação (SMED) de Belo Horizonte, que desenvolve pesquisas sobre sexualidade e relações de gênero na educação para elaborar, implementar e monitorar políticas públicas educacionais no município, além de produzir material didático de apoio à prática docente no processo ensino-aprendizagem acerca dessa temática.

Continuar lendo